Pick me. Choose me. Love me.
Home Ask Me About Credits
Eu nunca quis um amor perfeito

Ainda que fosse só a boa conversa, a química eletrizante, o sexo livre. Ainda que fosse só a atração física, a admiração das ideias ou os beijos encaixados.

Você já me valeria a pena.

Mas não é. Tem isso e ainda todo o resto. Escuto as pessoas se queixarem repetidamente que o amor completo anda escasso no mercado. Encontra-se, às vezes, só a beleza, a afinidade ou o sexo inesgotável. Falta o resto. Ou ainda, a paciência, o companheirismo, o aconchego. Mas a incompletude, ainda sim, reina. E os pessimistas, dizem que não é possível achar alguém do jeitinho que você quer. Alguém que te complete, que te baste, que te encante repetidamente. Eu, insisto no contrário. Porque amores incompletos, não saciam a fome. É como uma dieta só de proteína – você se sustenta por um tempo, se engana, inventa que o buraco no estômago está saciado – bebe água, fuma um cigarro. Mas, a falta de carboidrato, cedo ou tarde, pega. E você volta pro início.

Eu nunca quis um amor perfeito.

Sempre quis mesmo foi um amor cheio de erros, que vão sendo alinhados durante o caminho. Porque se tudo já começa certo, não vive-se o prazer da vitória.

Sempre quis um amor quentinho, daqueles de aconchego no fim de tarde, de colo depois de um dia de cão, de beijo no nariz ao acordar.

Sempre quis um amor livre – sem a ideia desajustada que um pertence ao outro. Com menos regras ditadas – e mais pontos de vista ouvidos.

Sempre quis alguém com o qual pudesse fazer sexo sem regras – em nome das descobertas. Porque sexo bom de verdade, é aquele com instinto e sem razão.

Sempre quis um amor com respeito. Não daquele tipo das “moças de respeito” que querem seu patrimônio corporal preservado. Sempre quis aquele respeito que te permite ver o outro como um outro ser – cheio de vontades e desejos. Respeito é aceitar que o outro é diferente de você.

Sempre quis um amor que me fizesse crescer. Por que o essencial, faculdade nenhuma ensina. O essencial aprende-se na troca de ideias, no debate, nos pontos de vista trocados.

Sempre quis um amor que me valorizasse. Não somente pelas coisas cotidianas, mas principalmente pelas qualidades que poucos enxergam.

Sempre quis um amor que me enxergasse. Mas não que enxergasse somente as coisas óbvias – porque, de obviedades, a vida está cheia. Sempre quis alguém que me enxergasse lá no fundo – e, ainda, sim, gostasse de mim.

Sempre quis alguém que quisesse ouvir verdades – e falar, também, na mesma proporção. Porque meias-verdades não interessam. Difícil mesmo é achar alguém que esteja pronto pra ouvir até o mais pesado, até o mais doído e retribuir na mesma moeda.

Sempre quis alguém que me achasse gostosa – mas que entendesse que gostosura, mora mesmo nas entrelinhas.

Sempre quis um amor que me mostrasse caminhos – invés de impor trajetórias.

Sempre quis um amor que não me reprimisse – pelo contrário, que me provocasse para que eu conseguisse mostrar o que vive escondido lá no fundo.

Sempre quis um amor que sonhasse.  E que corresse atrás dos sonhos comigo. Não por imposição, mas por vontade de seguir a mesma trilha.

Sempre quis alguém que não tivesse jeito pra joguinhos. Porque deles, eu já me desencantei na adolescência.

Sempre quis alguém que me ganhasse nos detalhes. Alguém ao qual eu não conseguisse resistir. Alguém que trouxesse brilho pros meus olhos a cada nova atitude, a cada nova ideia a cada novo sorriso.

Sempre quis alguém pra ficar junto – alguém que entendesse que pra estar junto não é preciso estar perto o tempo todo, mas sim do lado de dentro. Por que a proximidade física nem sempre completa tanto quanto a do coração.

E não sei se foi por insistência ou merecimento – mas esse amor veio antes do esperado, contrariando os que diriam que amor completo é coisa rara. E hoje, entendo, que o amor bom é o amor livre – que se recicla todos os dias como energia renovável. O quanto vai durar – não sei. Prefiro a provisoriedade completa, do que a permeabilidade vazia.

source: Casal sem vergonha


Link posted on 31/07/2014 at 2:00pm | 3 notes | (reblogue this!)
Tags:  sentimentos # amor # dores # vida #
Eu nunca quis um amor perfeito

Ainda que fosse só a boa conversa, a química eletrizante, o sexo livre. Ainda que fosse só a atração física, a admiração das ideias ou os beijos encaixados.

Você já me valeria a pena.

Mas não é. Tem isso e ainda todo o resto. Escuto as pessoas se queixarem repetidamente que o amor completo anda escasso no mercado. Encontra-se, às vezes, só a beleza, a afinidade ou o sexo inesgotável. Falta o resto. Ou ainda, a paciência, o companheirismo, o aconchego. Mas a incompletude, ainda sim, reina. E os pessimistas, dizem que não é possível achar alguém do jeitinho que você quer. Alguém que te complete, que te baste, que te encante repetidamente. Eu, insisto no contrário. Porque amores incompletos, não saciam a fome. É como uma dieta só de proteína – você se sustenta por um tempo, se engana, inventa que o buraco no estômago está saciado – bebe água, fuma um cigarro. Mas, a falta de carboidrato, cedo ou tarde, pega. E você volta pro início.

Eu nunca quis um amor perfeito.

Sempre quis mesmo foi um amor cheio de erros, que vão sendo alinhados durante o caminho. Porque se tudo já começa certo, não vive-se o prazer da vitória.

Sempre quis um amor quentinho, daqueles de aconchego no fim de tarde, de colo depois de um dia de cão, de beijo no nariz ao acordar.

Sempre quis um amor livre – sem a ideia desajustada que um pertence ao outro. Com menos regras ditadas – e mais pontos de vista ouvidos.

Sempre quis alguém com o qual pudesse fazer sexo sem regras – em nome das descobertas. Porque sexo bom de verdade, é aquele com instinto e sem razão.

Sempre quis um amor com respeito. Não daquele tipo das “moças de respeito” que querem seu patrimônio corporal preservado. Sempre quis aquele respeito que te permite ver o outro como um outro ser – cheio de vontades e desejos. Respeito é aceitar que o outro é diferente de você.

Sempre quis um amor que me fizesse crescer. Por que o essencial, faculdade nenhuma ensina. O essencial aprende-se na troca de ideias, no debate, nos pontos de vista trocados.

Sempre quis um amor que me valorizasse. Não somente pelas coisas cotidianas, mas principalmente pelas qualidades que poucos enxergam.

Sempre quis um amor que me enxergasse. Mas não que enxergasse somente as coisas óbvias – porque, de obviedades, a vida está cheia. Sempre quis alguém que me enxergasse lá no fundo – e, ainda, sim, gostasse de mim.

Sempre quis alguém que quisesse ouvir verdades – e falar, também, na mesma proporção. Porque meias-verdades não interessam. Difícil mesmo é achar alguém que esteja pronto pra ouvir até o mais pesado, até o mais doído e retribuir na mesma moeda.

Sempre quis alguém que me achasse gostosa – mas que entendesse que gostosura, mora mesmo nas entrelinhas.

Sempre quis um amor que me mostrasse caminhos – invés de impor trajetórias.

Sempre quis um amor que não me reprimisse – pelo contrário, que me provocasse para que eu conseguisse mostrar o que vive escondido lá no fundo.

Sempre quis um amor que sonhasse.  E que corresse atrás dos sonhos comigo. Não por imposição, mas por vontade de seguir a mesma trilha.

Sempre quis alguém que não tivesse jeito pra joguinhos. Porque deles, eu já me desencantei na adolescência.

Sempre quis alguém que me ganhasse nos detalhes. Alguém ao qual eu não conseguisse resistir. Alguém que trouxesse brilho pros meus olhos a cada nova atitude, a cada nova ideia a cada novo sorriso.

Sempre quis alguém pra ficar junto – alguém que entendesse que pra estar junto não é preciso estar perto o tempo todo, mas sim do lado de dentro. Por que a proximidade física nem sempre completa tanto quanto a do coração.

E não sei se foi por insistência ou merecimento – mas esse amor veio antes do esperado, contrariando os que diriam que amor completo é coisa rara. E hoje, entendo, que o amor bom é o amor livre – que se recicla todos os dias como energia renovável. O quanto vai durar – não sei. Prefiro a provisoriedade completa, do que a permeabilidade vazia.

source: Casal sem vergonha

Texto posted on 29/07/2014 at 2:00pm | 3 notes | (reblogue this!)
"Tu não sabe a sorte que tem. Mil loucos por ela e ela louca por você."

(Source: sonheicomnosdois, via allaxg)

Texto posted on 23/07/2014 at 9:46pm | 29,238 notes | (reblogue this!)
Tags:  não sabe # perdeu # sentimentos # vida # amor # vê se enxerga #
Por que não vem me ver?
Eu quero te abraçar.
Preciso de você pra mim.
Los Hermanos.  (via incompletavel)

(Source: dear-quotes, via incompletavel)


Quote posted on23/07/2014 at 9:44pm | 71,662 notes | (reblogue this!)

I’mma forgive, I won’t forget but I’mma dead the issue

Soon as you out the niggas’ lives

Is when they start to miss you

They see you doing good

Now it’s kinda hard to diss you

— Nicki Minaj

Quote posted on2/07/2014 at 2:00pm | 5 notes | (reblogue this!)
Tags:  Pills and potions # nicki minaj # lyrics # letra # music # música # life # vida # love # amor # toma # valor # don´t take me for granted! #
"O amor e tão arrogante que não aceita virar amizade" e foi aí que tudo começo quando eu quis te esquecer de vez quis te exclui pra sempre da minha vida e do meu coração, você me disse que gostava de conversar comigo e queria apenas amizade, não eu não aceito, eu te amei cara, meu sonho era te ter de novo em meus braços e você vem me pedindo amizade não eu não aceito ser sua amiga. Como te disse o "meu maior sonho e te esquecer" e isso é a maior verdade que eu já te disse oque eu mais quero é te esquecer, nunca mais lembrar que você existiu, não mais. Você é frio acha que suas palavras dizendo "eu curto outra", nunca me machucaram? Machucam sim e muito. Mais não machucará mais por que nunca mais precisarei escuta-las e isso me da um alívio, um alívio de saber que eu quero do fundo do meu coração e com todas as minhas forças te esquecer esse e um bom começo pra te tirar pra sempre do meu coração, pra tirar todas as minhas imaginações sobre nós dois, espero nunca mais te ver, nunca mais pensar em você, nunca mais querer você, nunca mais. Sei que nunca mais é muito forte mais vou orar todos os dias pra que Deus te tire cada dia mais do meu coração. Vá ser feliz meu ex amor, e espero que nunca mais me procure por que oque você irá receber será a porta na sua cara. Que Deus nós abençoe, dois corações que não deram certo mais que se amaram. Fim.
— Desabafos de uma desiludida. (via heartdiamond)

(Source: verbografia, via heartdiamond)


Quote posted on30/06/2014 at 10:25am | 12,631 notes | (reblogue this!)
Tags:  desabafos # amor # vida # paixão # dor # sentimentos #
Se não for pra ficar. Por favor. Não venha.
Gael Oliveira.  (via incompletavel)

(Source: autoria, via incompletavel)


Quote posted on30/06/2014 at 10:18am | 11,811 notes | (reblogue this!)
Tags:  sentimentos # amor # paixão # dor # vida # chega #


Photo posted on 27/06/2014 at 2:00pm | 5,709 notes | (reblogue this!)
Tags:  TPM # PMS # conversa # whatsapp # ignora # LOL # emoções # sentimentos # vida #

Não chore por um amor,

que já não tem mais cor.

Não deixe seu coração,

se acostumar com a escuridão.


Quote posted on25/06/2014 at 2:00pm | 2 notes | (reblogue this!)

(Source: zodiacchic)


Photo posted on 19/06/2014 at 2:00pm | 702 notes | (reblogue this!)
Tags:  taurus # touro # zodiac # signo # true # vida # life # feelings # hurt #
Surpreenda quem não espera nada de você.
Tati Bernardi.    (via involuntus)

(via mentiras-dos-garotos)


Quote posted on15/06/2014 at 2:00pm | 20,782 notes | (reblogue this!)
Tags:  Tati Bernardi # vida # difícil #


Photo posted on 27/05/2014 at 2:00pm | 154,183 notes | (reblogue this!)
Tags:  hein? # aceitação # vida # amor # personalidade #
Então vem

Ninguém sabe amar, mas a gente aprende.

Respira fundo e vem. Eu te dou a mão e a gente se aventura por essas ruas meio tortas e esburacadas do caminho pela frente. Não tem problema, eu também não sei. E quem é que sabe? Quem é que tá aqui sabendo tudo? Quem é que faz escolhas sem medo? Quem é que sabe aonde vai parar? Só sei que quero parar em qualquer lugar, mas com você. A gente respira fundo e vai. Com o medo, com a insegurança, com os ciúmes, com os problemas, as contas não pagas. A vida não é esta aventura toda? Vem que eu quero me aventurar com você. E ver seu sorriso, ouvir seu riso, sentir seu abraço na hora daquela vitória.

De todas as pessoas do mundo que já encontrei por aí, cê foi aquela. Sabe? Aquela pessoa que a gente sabe que vai chegar, abrir a porta e fazer toda a diferença. Pra que te deixar sair, então? Eu quero mais é que você fique. Que conquiste um espaço cada vez maior na minha casa, na minha vida e no meu coração.

Não tem problema, a gente aprende junto. A gente respira fundo, conta até 10, fica afastado, depois volta como se nada tivesse acontecido. A gente briga, grita, faz o que tiver que fazer. Mas fica. E insiste. E não desiste. Que desistir de você é daquelas coisas que eu não faço.

Vem. Mas vem com tudo. Vem inteiro. Com as memórias, as cicatrizes, as qualidades e os defeitos. E a gente vai – sabe-se lá pra onde, mas vai. Que o importante, o importante mesmo, é ter amor pra ir. Em frente.

source: Karine Rosa (em Depois dos Quinze)

Texto posted on 27/05/2014 at 12:34pm | 5 notes | (reblogue this!)
Tudo me atinge, vejo demais, ouço demais, tudo exige demais de mim.
Clarice Lispector. (via viciante-como-drogas)

(Source: ADVERBIOS, via incompletavel)


Quote posted on26/05/2014 at 2:00pm | 27,166 notes | (reblogue this!)
Tags:  Clarice Lispector # frase # vida # amor # ver # ouvir # viver # exigências #
Vou deixar você procurar em todos o que você só vai achar em mim.
Tati Bernardi. (via viciante-como-drogas)

(Source: prayersinthemoonlight, via incompletavel)


Quote posted on8/05/2014 at 2:00pm | 48,857 notes | (reblogue this!)
Página 1 de 16 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 »